"Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhoram nem tomam em consideração as condições dos animais." (Abraham Lincoln)



terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Feliz Natal... com amor!


 
 
Ainda que eu falasse as línguas
dos homens e dos anjos, e não
tivesse amor, seria como o metal
que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de
profecia, e conhecesse todos os
mistérios e toda a ciência, e
ainda que tivesse toda a fé, de
maneira tal que transportasse os
montes, e não tivesse amor, nada
seria.
E ainda que distribuísse toda a
minha fortuna para sustento dos
pobres, e ainda que entregasse o
meu corpo para ser queimado, e
não tivesse amor, nada disso me
aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o
amor não é invejoso; o amor não
trata com leviandade, não se
ensoberbece.
Não se porta com indecência, não
busca os seus interesses, não se
irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas
folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera,
tudo suporta.
O amor nunca falha.

1 Coríntios 13

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Quantos silêncios...

 

Maiakovski, poeta russo escreveu, no início do século XX :

Na primeira noite, eles se aproximam
e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite,
já não se escondem,
pisam as flores, matam nosso cão.
E na oportunidade
E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles,
entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua,
e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada,
já não podemos dizer nada.
Maiakovski (1893-1930)


Depois Bertold Brecht escreveu:

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável
Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.
Bertold Brecht (1898-1956)


Em 1933 Martin Niemöller criou o seguinte poema:

Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram
meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei .
No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar…
Martin Niemöller,(1892-1984)– símbolo da resistência aos nazistas.

Em 2007 Cláudio Humberto presenteou-nos assim:

Primeiro eles roubaram nos sinais, mas não fui eu a vítima,
Depois incendiaram os ônibus, mas eu não estava neles;
Depois fecharam ruas, onde não moro;
Fecharam então o portão da favela, que não habito;
Em seguida arrastaram até a morte uma criança, que não era meu filho…
Cláudio Humberto, em 09 Fevereiro de 2007


Por fim Martin Luther King concluiu:
O que mais me preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos,
dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética… o que mais me
preocupa é o silêncio dos bons!.
Martin Luther King (1929.1968)

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

sorry...


Pelas vezes em que fraquejo e me deixo cair
Pelas vezes em que te procuro
em que procuro alguém que me diga qualquer coisa
e ninguém entende,
ninguém percebe que eu só quero
que me perguntem como estou... só para poder dizer: triste!

Pelas vezes em que não consigo rezar
e toda a minha tristeza se converte em silêncio para Deus...
Pelas vezes em que sorrindo chorei lágrimas de sangue
por saudades de quem vi partir sem voltar...

São dores que nada nem ninguém fará passar.
Até nisso o tempo é nosso inimigo!
Queria gritar a minha dor
recordando tudo o que disse a rezar
e sem mais,
deixar de me importar se o telefone deixou de tocar,
se as conversas deixaram de existir,
se eu caí e não me levantei!

um anjo

terça-feira, 30 de outubro de 2012



Um dia a maioria de nós irá separar-se. Sentiremos saudades de
todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos
sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos.

Saudades, até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas dos
finais de semana, dos finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.

Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai para
seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a
sua vida. Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe...nas
cartas que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices...
Aí, os dias vão passar, meses...anos... até este contacto
se tornar cada vez mais raro. Vamo-nos perder no tempo....
Um dia
os nossos filhos verão as nossas fotografias e perguntarão:"Quem
são aquelas pessoas?"
Diremos...que eram nossos amigos e...... isso vai doer tanto!
-"Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da
minha vida!"

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar vontade de
ligar, ouvir aquelas vozes novamente...... Quando o nosso grupo
estiver incompleto... reunir-nos-emos para um último adeus de um
amigo.

E, entre lágrima abraçar-nos-emos. Então faremos promessas
de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada
um vai para o seu lado
para continuar a viver a sua vida, isolada do passado.

E perder-nos-emos no tempo.....Por isso, fica aqui um
pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco,
e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes
tempestades....

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que
tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se
morressem todos os meus
amigos!"

Fernando Pessoa

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A minha alma tem pressa...



Contei os meus anos
E descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente
Do que já vivi até agora

Tenho muito mais passado do que futuro...Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
Cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias
que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigam pelo
Majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.


Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência...
Minha alma tem pressa...
  Quero viver ao lado de gente humana,
Muito humana; que sabe rir de seus tropeços,
não se encanta com triunfos,
não se considera eleita antes da hora,
não foge da sua mortalidade.

Estou farto de mediocres
que evitam olhar para o lado
esquecendo a crua realidade de muito humanos.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.


(adapt. Jorge Amado)

uma anjo

sexta-feira, 21 de setembro de 2012


 
 
Quando chegar minha hora de partir e, eu
não precisar mais deste corpo,
Não chamem o meu falecimento de leito da
morte, mas de leito da Vida.
Dêem minha visão ao homem que jamais viu
o raiar do sol, o rosto de uma criança ou o
amor nos olhos de uma mulher...
Dêem meu coração a uma pessoa cujo
coração apenas experimentou dias
infindáveis de dor.
Dêem meu sangue ao jovem que foi retirado
dos destroços de seu carro, para que ele
possa viver para ver os seus netos brincarem.
Dêem os meus rins às pessoas que precisam
de uma máquina para viver de semana em
semana.
Retirem meus ossos, cada músculo, cada fibra
e nervo do meu corpo e encontrem um meio
para fazer uma criança inválida caminhar.
Explorem cada canto do meu cérebro. Retirem
minhas células, se necessário, e deixem-nas
crescerem para que, um dia, um menino
mudo possa gritar em um momento de
felicidade ou uma menina surda possa ouvir
o barulho da chuva de encontro à sua janela.
Queimem o que restar de mim e espalhem as
cinzas ao vento, para ajudarem as flores
brotarem.
Se tiverem que enterrar algo, que sejam meus
erros, minhas fraquezas e todo o mal que fiz
aos meus semelhantes.
Dêem meus pecados ao diabo.
Dêem minha alma a Deus.
Se, por acaso, desejarem lembrar-se de mim,
façam-no com ação ou palavra amiga a
alguém que precise de vocês.
Se fizerem tudo o que pedi, estarei vivo para
sempre!
Obrigado.
 
de, Luz de uma Nova Era

segunda-feira, 3 de setembro de 2012


Graças Vida
pela música no meu coração
o sorriso nos meus lábios
e a alegria nas minhas mãos.
Graças Vida
pela  Fé na mais profunda necessidade
que sempre ajuda a manter a esperança.
Graças Vida
pelas oportunidades de exercitar a paciência,
adquirir experiência
e alcançar sabedoria.
Graças Vida
por todos os desafios que me ajudam a amadurecer
pelos amigos e companheiros de caminhada.
Graças Vida
pelo sorriso de uma criança
pela coragem de um homem
e a sabedoria de um ancião.
Graças Vida
pelo amor e confiança que eu recebo
e devo passar adiante.
Graças Vida
pela imensa riqueza e bens
com que somos abençoados.
Graças Vida
por toda a dor que me tornou na pessoa que sou hoje.
Graças Vida
por todas as lágrimas derramadas que atestam
a profundidade da minha alma e a purificam.
Graças Vida
pela força e coragem de lutar sem desistir.
Graças Vida
por todos os segredos da vida
e pela capacidade de maravilhar-me
com pequenos e grandes milagres.
Graças Vida
pelo amor na vida e pelas pessoas a meu lado.
Graças Vida
por uma visão e por um amplo horizonte espiritual
que me permite ver além do conhecimento.
Graças Vida
pelos meus defeitos e fraquezas
que me tornam humano.
Graças Vida
que tu fiques comigo, mesmo depois da morte
e o conhecimento de que a morte é apenas um novo começo.
Graças Vida
Por tudo... bom,
porque tudo tem a sua finalidade e sentido!

sábado, 4 de agosto de 2012

As mais lindas palavras de amor foram  ditas em lágrimas de despedida
num misto de alegria e quase adeus
num misto de chegada a hora do "sim" e da negação...
As mais lindas palavras de amor
foram todas ditas
em noites de conversa, em tardes de oração...
E no silêncio do olhar
lá longe de onde te vejo,
recordo todas elas,
onde nenhuma ficou por te dizer,
mas que todas acabaste por esquecer!
As mais lindas palavras de amor
foram  ditas em lágrimas de despedida...

um anjo

terça-feira, 3 de julho de 2012

Só pra contrariar...


Hoje...
Manhã de sol...
Acordei com vontade de ouvir música...
O grupo: Só pra contrariar...
Acordei como anjo cheio de nostalgia de anos que já passaram...
Pessoas, momentos, recordações suficientes para escrever um livro
se este fosse tão importante para alguém
como é para mim...
Recordo sorrisos, olhares, dias de praia, de escola, noites de folia e copos.
Namoros resolvidos, paixões platonicas, opções mais ou menos impulsivas,
tiragens de filmes que me fizeram chorar.
Defenia a minha vida como VIVIDA!
Vivi com inensidade,
com paixão e muita luta.
Entreguei o coração a outros anjos, a outras causas...
Fiz da vida o que quis e ela devolveu-me até o que não pedi.
Vida cheia de gente, de amor e alegrias.
Vida cheia de dor, partidas e lutos...

Falta tanto para terminar...
... e no entanto, se agora partisse,
partia feliz!!
Iria ao encontro do que acredito ser a Verdade!

Hoje...
Manhã de sol...
Acordei com vontade de ouvir música...
O grupo: Só pra contrariar...
Acordei como anjo cheio de nostalgia de anos que já passaram... e dancei!

um anjo

sexta-feira, 1 de junho de 2012

‎"Amigos, uns dizem que são irmãos que podemos escolher.
Mas eu discordo...
Amigos são Anjos que se podem comunicar connosco.
Se notarem, os aparecem  Amigos sempre quando estamos tristes, quando estamos mal.
O verdadeiro Amigo deixa tudo quando precisamos da companhia dele.
Há pessoas que encontram nos Amigos um refugio do mundo,
uma maneira de escapar de algo difícil.
Eu vejo nos meus Amigos uma segunda família,
vejo nos meus Amigos, Anjos que tiveram suas asas cortadas por algum motivo que desconheço.
Amigos não encontramos por um acaso,
eles estão predestinados a nós.
Amigo, (se temos um verdadeiro): temos tudo!"
 
um anjo

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Então sento-me...
Sem grande emoção...
Olho em frente e aguardo que não sei quando
chegue não sei por onde
e faça não sei o quê!

um anjo

terça-feira, 8 de maio de 2012

.

Um professor entrou na sala de aula e disse aos alunos para se prepararem para uma prova-relâmpago.
Todos aguardaram assustados o teste que viria.
O professor foi entregando, então, a folha da prova com a parte do texto virada para baixo, como era seu costume.
Depois que todos receberam, pediu que virassem a folha.
Para surpresa de todos, não havia uma só pergunta ou texto, apenas um
ponto preto, no meio da folha.
O professor, analisando a expressão de surpresa que todos faziam,
disse o seguinte:

- Agora, vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.

Todos os alunos, confusos, começaram, então, a difícil e inexplicável
tarefa. Terminado o tempo, o mestre recolheu as folhas, colocou-se na frente da turma e começou a ler as redações em voz alta.
Todas, sem excepção, definiram o ponto preto, tentando dar explicações pela sua presença no centro da folha.
Terminada a leitura, a sala em silêncio, o professor então começou a explicar:
- Esse teste não será para nota, apenas serve de lição para todos nós.
Todos , nesta sala, falaram sobre o ponto preto.
Ninguém,  na sala, falou sobre a folha em branco.
Todos centralizaram suas atenções no ponto preto!
Assim acontece nas nossas vida. Temos uma folha em branco inteira para observar e aproveitar, mas sempre nos centralizamos nos pontos pretos.

A vida é um presente da natureza  dado a cada um de nós, com extremo carinho e cuidado.

Temos motivos para comemorar sempre: a natureza que se renova, os
amigos que se fazem presentes, o emprego que nos dá o sustento, os
milagres que diariamente presenciamos...

Porém, insistimos em olhar apenas para o ponto preto!

O problema de saúde que nos preocupa, a falta de dinheiro, o
relacionamento difícil com um familiar, a decepção com um amigo, enfim...
Os pontos pretos são mínimos em comparação com tudo aquilo que temos
diariamente, mas são eles que povoam nossa mente.

Pensem nisso!
Tirem os olhos dos pontos pretos da vossa vida.
Aproveitem cada oportunidade, cada momento que a natureza vos dá.


... e sejam .... FELIZES!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Arranja tempo (suficiente) para viver...


Há pouco tempo, estava no aeroporto e vi mãe e filha a despedirem-se.
Quando anunciaram a partida, elas abraçaram-se e a mãe disse:
- Eu amo-te. Desejo-te o suficiente.
A filha respondeu:
- Mãe, a nossa vida juntas tem sido mais do que suficiente. O teu amor é tudo o que sempre precisei. Eu também te desejo o suficiente.
Elas beijaram-se e a filha partiu.

A mãe passou por mim e encostou-se à parede.

Pude ver que ela queria, e precisava, de chorar.
Tentei não me intrometer nesse momento, mas ela dirigiu-se a mim e perguntou:
- Já se despediu de alguém sabendo que seria para sempre?
- Já - respondi. - Desculpe a pergunta, mas por que foi um adeus para sempre?
- Estou velha e ela vive tão longe daqui! Tenho desafios à minha frente e a verdade é que a próxima viagem dela para cá, será para o meu funeral.
- Quando estavam a despedir-se, ouvi que lhe disse: "Desejo-te o suficiente". Posso saber o que isso significa?

Ela começou a sorrir.

- É um desejo que tem sido passado de geração em geração na minha família. Os meus pais costumavam dizer isso a todos.Ela parou por um instante e olhou para o alto como se estivesse a tentar lembrar-se dos detalhes e sorriu mais ainda.

- Quando dizemos "Desejo-te o suficiente", estamos a desejar uma vida cheia de coisas boas o suficiente para que a pessoa se ampare nelas.

Então, virando-se para mim, disse como se estivesse a recitar:

- Desejo-te sol o suficiente para que continues a ter essa atitude radiante.
- Desejo-te chuva o suficiente para que possas apreciar mais o sol.
- Desejo-te felicidade o suficiente para que mantenhas o teu espírito alegre.
- Desejo-te dor o suficiente para que as menores alegrias na vida pareçam muito maiores.
- Desejo-te que ganhes o suficiente para satisfazeres os teus pequenos desejos materiais.
- Desejo-te perdas o suficiente para que aprecies tudo o que possuis.
- Desejo-te "olás" em número suficiente para que chegues ao adeus final.

Ela começou então a soluçar e afastou-se.

Dizem que leva um minuto para encontrar uma pessoa especial,
uma hora para apreciá-la,
um dia para amá-la,
mas uma vida inteira para esquecê-la.

Desejo-te TUDO suficiente...

um anjo 


sexta-feira, 13 de abril de 2012

SuperWill, Obrigado!

O meu céu apareceu no Facebook do SuperWill. Visitem e divulguem!!
 
 
 
Angels

Um blog aonde palavras são como faróis em uma tempestade marítima. A verdade e a capacidade de sentir os aspectos da vida ainda são um dos acessos à paz interior.

'' Os Anjos – embora estejam sempre presentes – fazem-se notar apenas para aqueles que acreditam na sua existência'' !

http://acrturtle.blogspot.com.br/
 
 

quarta-feira, 4 de abril de 2012



A Páscoa não se resume a lembrar a morte e o sacrifício de Cristo, mas é também uma celebração de alegria e vitória pela Sua ressurreição.

Páscoa feliz, meus anjos!

segunda-feira, 26 de março de 2012


Existem pessoas que espalham luz por onde passam, trazem paz, alegria e força no olhar...
No céu recebem o nome de anjos,
mas aqui na Terra nós chamamos de amigos!

Eu chamarei sempre de "meus anjos na terra"!!!

um anjo

segunda-feira, 12 de março de 2012

Viver sempre também cansa!

As paisagens não se transformam
Não cai neve vermelha
Não há flores que voem,
A lua não tem olhos
Niguém vai pintar olhos à lua
Tudo é igual, mecanico e exato
Ainda por cima os homens são os homens
Soluçam, bebem riem e digerem
sem imaginação.
E há bairros miseráveis sempre os mesmos
discursos de políticos
guerras, orgulhos em transe
automóveis de corrida...
E obrigam-me a viver até à morte!
Pois não era mais humano,
Morrer por um bocadinho
De vez em quando
E recomeçar depois
Achando tudo mais novo?

segunda-feira, 5 de março de 2012

A Morte Devagar




Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.
Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá conversa para quem não conhece.
Morre lentamente quem faz da televisão o seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço numa vida.
Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pontos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem não viaja quem não lê quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.
Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então perece a cada dia quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.
Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.
Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo que resta. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia.
Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Como é que se Esquece Alguém que se Ama?

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?
As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.
É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.
Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.
Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.
O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Para os meus anjos!


Hoje, se chover, que sejas feliz
com a chuva que molha os campos,
varre as ruas
e limpa a atmosfera.

Se fizer sol, aproveita o calor.
Se houver flores no teu jardim, aproveita o perfume...

Se tudo estiver seco, aproveita para colocar
as mãos na terra, plantar sementes
e aguardar
que floresçam.

Hoje, não arranjes desculpas...
Sê feliz de qualquer jeito!

Lembra-te de que a única fonte de felicidade
está dentro de nós e deve ser repartida.

Repartir nossas alegrias é como espalhar
perfume sobre os outros: sempre algumas
gotas acabam caindo sobre nós...

Que os teus dias sejam PERFEITOS...

Tu mereces!!!
(autor desc.)

um anjo

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Conta-se uma história de um empregado de uma empresa de armazéns frigoríficos da Noruega.
Certo dia ao término do trabalho, foi inspecionar a câmara frigorífica. Inexplicavelmente, a porta  fechou-se e ele ficou preso lá dentro. Bateu com força, gritou por socorro mas ninguém o ouviu... todos já haviam saido para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo.
Já estava quase cinco horas preso, debilitado com a temperatura insuportável. De repente, a porta abriu-se  e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.
Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia:
- Porque foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho?
Ele explicou:
- Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram e saem aqui todos os dias e ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair perguntando como foi meu dia. Hoje pela manhã disse "Bom dia" quando chegou. Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter-lhe acontecido algo. Por isto o procurei e encontrei...


"Nunca é cedo para uma gentileza, porque nunca se sabe quando poderá ser tarde demais."

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

"Mulheres que Correm com os Lobos"


Em seu livro, "Mulheres que Correm com os Lobos", Clarissa Pinkola
escreveu  algo que muito me agradou :

"Dizem que tudo o que buscamos,
também nos busca e, se ficarmos quietos, o que buscamos nos
encontrará.

Há algo que leva muito tempo esperando por nós. Enquanto
não chega, nada faça. Descanse. Você verá o que acontece enquanto
isto.

Desejo que hoje você experimente paz dentro de si, que confie que
você se encontra exatamente onde deve estar, que não se esqueça das
possibilidades infinitas que nascem da confiança em si mesma e nos
outros, que utilize os dons que recebeu, e que transmita, aos outros,
o amor que lhe foi dado.
Desejo que você esteja feliz consigo mesma pelo que você é. Deixe esta
sabedoria assentar-se em seus ossos e deixe que sua alma cante, baile
e ame livremente. Está aí para cada uma de nós."


E dance...
Sobretudo, dance...
Bom 2012!

um anjo